PERGUNTAS FREQUENTES

  • Compartilhe
  • E-mail
  • Imprimir página

Confira a lista abaixo e veja se a sua dúvida pode ser esclarecida. Se ainda assim você precisar de mais informações, envie uma mensagem através do Fale conosco.

ESCOLHA DO PNEU

Como escolher o pneu mais adequado para meu veículo?
Como escolher o pneu mais adequado para meu veículo?

A escolha de um pneu deve estar em conformidade com a legislação e o equipamento original definido pelo fabricante do veículo, ou por um órgão oficial (dimensão, índices de carga e velocidade, estrutura etc). É necessário levar-se em conta também as condições de utilização do pneu, afim de que as performances do mesmo respondam às necessidades do utilizador.

No mesmo eixo, é obrigatório usar dois pneus iguais com o mesmo desenho da banda de rodagem, a mesma dimensão e desgaste semelhante.

É importante não usar o pneu com uma pressão não recomendada, em uma velocidade ou com uma carga superior àquela determinada pelo seu índice.

VEJA MAIS
O que significam as letras e números na lateral do pneu?
O que significam as letras e números na lateral do pneu?

Em um pneu, existem várias marcações, entre símbolos, letras e números, para atender a diferentes objetivos. Algumas marcações são exigências normativas e que se aplicam em alguns países.

Para entender melhor como realizar a leitura do pneu, vamos utilizar o exemplo abaixo:

» COMO LER SEU PNEU

MONTAGEM E TROCA DOS PNEUS

Quando devo trocar os pneus?
Quando devo trocar os pneus?

Os pneus devem ser trocados por diversos motivos, tais como desgaste, envelhecimento ou danos. Confira a seguir os casos mais comuns:

Danos - Um pneu danificado por um impacto, um obstáculo ou um objeto pontiagudo pode ser perigoso. Recomenda-se que seja visto por um profissional assim que possível, que lhe dirá se o pneu pode ser reparado ou se deve ser trocado.

Envelhecimento - Os pneus não têm uma duração definida. É importante que um especialista realize a verificação regularmente para detectar qualquer sinal de envelhecimento. Um envelhecimento excessivo dos pneus pode fazer com que percam aderência e, consequentemente, afetar a segurança.

Desgaste - Verifique regularmente a profundidade dos sulcos dos seus pneus. O limite legal de desgaste permitido para pneus de carros e caminhonetes é de 1.6 mm. A Michelin aconselha que se troquem os pneus antes de atingirem esse limite, uma vez que pneus gastos não oferecem segurança suficiente, além de estarem proibidos por lei.

VEJA MAIS

Posso montar pneus de esculturas diferentes no mesmo veículo?
Posso montar pneus de esculturas diferentes no mesmo veículo?

Sim. No entanto, pneus de esculturas diferentes não devem ser montados no mesmo eixo para evitar problemas no comportamento e na geometria do veículo.

Ao substituir dois pneus, devo montá-los atrás ou na frente?
Ao substituir dois pneus, devo montá-los atrás ou na frente?

Em caso de substituição de apenas dois pneus, seja em um veículo de tração dianteira ou traseira, a MICHELIN recomenda que a montagem dos pneus novos ou em melhor estado seja sobre o eixo traseiro, para melhor controle do veículo e maior segurança.

Este procedimento é fundamental para conseguir a máxima estabilidade em situações difíceis (frenagens repentinas ou curvas fechadas), sobretudo em solos escorregadios.

Para que esta técnica seja realmente eficaz, a MICHELIN aconselha verificar a pressão e o balanceamento dos pneus trocados de eixo, pois existem pneus cuja pressão é diferente entre os eixos dianteiro e traseiro.

Quando e como devo fazer o rodízio de pneus?
Quando e como devo fazer o rodízio de pneus?

Para ter o mesmo nível de uso entre os pneus do veículo, sugere-se um rodízio periódico entre os eixos, conforme recomendação dos fabricantes do veículo.

Nossa sugestão é que o rodízio seja feito com a orientação de um verificador técnico em uma revenda autorizada Michelin, preferencialmente a cada 7.000 km ou após a constatação da necessidade.

MANUTENÇÃO DOS PNEUS

Calibragem: quando e por que verificar a pressão dos pneus?
Calibragem: quando e por que verificar a pressão dos pneus?

A pressão correta dos pneus é um fator primordial, não somente para otimizar as performances do pneu mas, sobretudo, por questões de SEGURANÇA.

A calibragem é necessária para o bom comportamento do veículo (dirigibilidade, frenagem, etc) e também para manter a integridade do pneu.

A pressão dos pneus é recomendada pelo fabricante do veículo e deve ser sempre respeitada.

As recomendações da pressão de utilização podem ser obtidas no manual do proprietário do veículo e, em alguns casos, podem estar afixadas na coluna da porta, na tampa do bocal de abastecimento de combustível ou no porta-luvas.

Uma baixa pressão pode alterar significativamente o comportamento do veículo. O mesmo ocorre no caso de uma pressão excessiva.

Para sua segurança e conforto, a MICHELIN aconselha verificar a pressão pelo menos a cada 15 dias e, sistematicamente, antes de uma longa viagem.

VEJA MAIS
Alinhamento: o que é, qual a função e quando fazer?
Alinhamento: o que é, qual a função e quando fazer?

Alinhamento é o processo de regulagem dos ângulos da direção e suspensão do veículo. O alinhamento dos pneus tem a função de manter as rodas do veículo o mais paralelo possível entre os ângulos de um mesmo eixo ou entre os diferentes eixos. Isso evita desgastes anormais rápidos, que comprometem a durabilidade dos pneus.

O alinhamento deve ser feito:

  • Em todas as revisões periódicas estipuladas pelo fabricante do veículo;
  • Sempre após um impacto forte contra buracos, pedras, guias ou outros objetos;
  • Sempre que houver a substituição de algum elemento da suspensão ou da direção;
  • Toda vez que notar algum comportamento estranho no veículo, tendendo a ir mais para um lado ou com dificuldade de se manter na trajetória;
  • Quando forem verificados desgastes irregulares nos pneus;
  • Sempre que houver substituição de pneus.
VEJA MAIS
Balanceamento: o que é, qual a função e quando fazer?
Calibragem: quando e por que verificar a pressão dos pneus?

Balanceamento é o processo de compensação feito para equilibrar o conjunto de pneu e rodas do veículo. O balanceamento é necessário para suprimir vibrações. Ele permite preservar os pneus, os componentes da suspensão e da direção de um desgaste prematuro. Pode acontecer que as vibrações não sejam sentidas no volante, mesmo que existam, porque algumas vezes o veículo as filtra. Daí a importância de balancear as rodas traseiras assim como as dianteiras.

O balanceamento deve ser feito:

  • Em todas as revisões periódicas estipuladas pelo fabricante do veículo;
  • Sempre que houver substituição de pneus;
  • Sempre que for efetuado conserto em pneus;
  • Por ocasião de vibrações no volante;
  • Sempre que houver substituição de elementos do conjunto rodante – por exemplo: pastilhas de freios, rolamento da roda, peças da suspensão, etc.
VEJA MAIS
Desvio Lateral: o que é, como diagnosticar e como arrumar?
Desvio Lateral: o que é, como diagnosticar e como arrumar?

Desvio lateral (ou deriva) é quando um veículo não consegue seguir uma trajetória reta, em uma estrada ou em uma via plana e em bom estado.

O desvio lateral ocasiona uma redução da segurança e do conforto na condução, já que o motorista tem que compensar o desvio com o volante.

Para fazer um diagnóstico correto do desvio lateral é preciso:

  • Analisar as últimas ocorrências ou manutenções no veículo: acidentes, substituição de pneus, troca de peças principalmente na suspensão;
  • Verificar os pneus por eixo: pressão, tipo, nível de desgaste, sentido de montagem;
  • Testar o veículo para constatar o tipo de desvio. Para isto, segure levemente o volante em uma reta, a uma velocidade estabilizada de 100 km/h (procure local com esta velocidade permitido por lei). Também se pode verificar o comportamento do veículo com testes de frenagem e aceleração, segurando levemente o volante.

Em casos gerais, o desvio lateral é consertado com o alinhamento e o balanceamento.

VEJA MAIS
Por que é necessário verificar regularmente o estado dos pneus?
Por que é necessário verificar regularmente o estado dos pneus?

É uma questão de segurança. A profundidade mínima legal de 1,6 mm (altura de índice de desgaste) é um critério importante a respeitar. Para facilitar a tarefa de verificação, a MICHELIN tem, em todos os seus pneus, indicadores de desgaste situados nos canais principais da banda de rodagem.

Quando esses indicadores estão na mesma altura da banda de rodagem, a troca se torna obrigatória.

 

VEJA MAIS
Qual é a diferença entre alinhamento e balanceamento?
Qual é a diferença entre alinhamento e balanceamento?

As pessoas confundem frequentemente o alinhamento e o balanceamento, mas eles são completamente diferentes.

Se você percebe que seu carro puxa para a direita ou esquerda quando você libera o volante por um curto período de tempo, você precisa verificar o alinhamento do seu veículo.

Se você percebe que o seu volante vibra ou o seu carro apresenta barulhos em determinadas velocidades, você precisa verificar o balanceamento das rodas do seu veículo.

O alinhamento do veículo é para ajustar os ângulos das rodas, mantendo-as perpendiculares ao solo e paralelas entre si. Já o balanceamento de um pneu permite que a roda gire sem provocar vibrações nos veículos em determinadas velocidades.

VEJA MAIS
Por que se deve substituir as válvulas?
Por que se deve substituir as válvulas?

A válvula é um elemento independente do pneu. Tem uma missão importante na vedação e, consequentemente, na segurança do veículo e no consumo de combustível. Submetidas a fortes pressões, as válvulas se deterioram por envelhecimento e pela ação da força centrífuga.

A MICHELIN aconselha a substituição da válvula a cada troca de pneu, para não comprometer sua durabilidade e a segurança do usuário.

Que produto devo utilizar para limpar os pneus?
Por que se deve substituir as válvulas?

Para limpeza dos pneus, recomenda-se somente a utilização de água e sabão neutro. Existem alguns produtos, encontrados nas lojas do ramo, destinados a facilitar esta limpeza.

Estes produtos podem ser utilizados, desde que não contenham substâncias derivadas dos hidrocarbonetos. Em nenhuma hipótese deve-se utilizar derivados de petróleo para a limpeza dos pneus.

Como pode ser realizada a reparação dos pneus?
Como pode ser realizada a reparação dos pneus?

Em caso de furo ou danos nos pneus radiais sem câmara, é permitida a reparação conforme a área em que ocorreu e o tamanho do dano.

Para fazer o conserto dos pneus do seu carro, opte sempre pela tecnologia oferecida nas revendas MICHELIN: a peça de reparação dos pneus (PRP), também conhecida como plug de reparação, destinada aos reparos de danos de 3 a 6 mm em pneus sem câmara.

No processo de reparação adotado pela MICHELIN, o pneu é examinado em toda a sua estrutura, principalmente na parte interna, a fim de detectar danos que possam prejudicar a mobilidade do veículo.

A aplicação dessa tecnologia corretamente garante a vedação total do furo, evitando a perda de ar durante a rodagem e garantindo a máxima segurança.

A MICHELIN não recomenda a reparação por mecha, mais conhecida como macarrão, porque é realizada muitas vezes pela parte externa, sem desmontar o pneu da roda e, portanto, sem exame prévio indispensável. Além disso, esse tipo de reparação não garante a vedação ao longo do tempo.

Para maiores informações, busque sempre uma revenda autorizada MICHELIN.

VEJA MAIS
Como funciona a calibragem para motos?

Quem determina a calibragem dos pneus é o fabricante do veículo, uma vez que ela depende do peso que os pneus suportam em cada eixo.

Mesmo que o cliente troque os pneus originais por outros maiores ou menores, a calibragem deve continuar a mesma.

A Michelin sugere que você consulte a montadora da sua motocicleta para saber qual a recomendação da calibragem indicada para seu modelo.

O sentido de rodagem do pneu dianteiro é invertido?

Sim. Isto ocorre para possibilitar maior eficácia nas frenagens da moto.

É importante observar as setas indicadas no flanco do pneu. Quando montado na traseira, deve-se seguir a direção da seta Rear (traseiro). No caso da dianteira, seguir a direção da seta Front (dianteiro). Qualquer dimensão possui as duas setas direcionais Rear e Front.

A montagem dos pneus de forma inversa está correta, devendo ser seguida na direção das setas. O sentido de rodagem do pneu dianteiro é inverso do traseiro, para melhorar a frenagem, proporcionando desgaste mais regular.

Como fazer a leitura da dimensão do pneu?

As letras e números na lateral do pneu representam suas características individuais. Para facilitar sua compreensão, vamos usar o exemplo do pneu 215/85 R16. Veja o que cada um significa:

215 - Seção em mm (largura do pneu)
85 - Série = 85% a medida da seção, altura do flanco, no caso 182,75 mm
R - Radial
16 - Diâmetro interior em pol (corresponde ao aro da roda)

Ou seja, este pneu tem a largura de 215 mm e altura total de 771,9 mm [182,75 x 2 + 16 (25,4)] 

Quais são os principais tipos de motos?

As motos são classificadas através dos mais diversos estilos. Eles podem variar de cada país, apesar das nomenclaturas geralmente serem semelhantes. Confira a lista abaixo com alguns dos modelos mais comuns:

Scooter, Motoneta, Lambreta ou Vespa - São veículos motorizados de duas rodas, no qual o condutor condiciona suas pernas para a frente de seu tronco, em vez de para os lados, como ocorre nas motocicletas.

CUB - Meio termo entre as Scooters e as Motos. Diferencia-se da primeira principalmente por possuírem câmbio, além de embreagem centrífuga semiautomática.

Esportivas – Têm design futurista e mecânica de excelente desempenho. Os motores geralmente possuem mais de 600 cilindradas, o que permite maior aceleração, algumas alcançando velocidades superiores a 300 Km/h.

Custom - Estradeiras que não priorizam a velocidade, mas o conforto. A altura do banco é baixa, as pedaleiras são avançadas e o tanque é grande e paralelo ao chão, de forma a proporcionar uma posição confortável para pilotagem.

Roadsters - Aliam o visual e a posição de pilotagem das custom com o alto desempenho das esportivas.

Chopper - Derivam das Custom com a diferença na posição do tanque, que é alto na frente e baixo atrás, formando uma linha com o eixo da roda traseira. O garfo da frente tem um ângulo em relação ao motor, maior que nas Custom e seu comprimento também é maior, deixando a distância entre eixos bem grande.

Naked – Têm bom desempenho em relação ao motor, e conjunto mecânico. Permitem uma posição de pilotagem menos ‘deitado’, melhorando o conforto para condução em vias urbanas, seu guidão é mais alto do que nas esportivas e não possuem carenagem.

Off-road - Possuem diversas variantes: motocross/supercross, enduro, cross-country, raids e trail. Os pneus são específicos, geralmente para tração na terra e as rodas são maiores para transpor obstáculos com maior facilidade. A sua suspensão possui um curso total maior, sendo mais altas em relação ao solo, para absorver im-pactos e não os transmitir para o piloto. O visual geralmente é despojado, com desenho rústico e/ou agressivo. 

É mais fácil pilotar na cidade ou nas rodovias?

Geralmente as pessoas dizem que é mais perigoso pilotar em rodovias do que em centros urbanos. As opiniões podem variar, o que acontece é que nas rodovias tudo acontece mais rápido e o condutor precisa ter certa prática.

Ao pilotar em rodovias deve-se redobrar a atenção, pois como nelas o trânsito é em alta velocidade, seu tempo de resposta fica comprometido. Já nos centros urbanos os acidentes estão mais propensos a ocorrerem, pois existe mais interações e maior propensão à erros.

De qualquer forma, a moto é um veículo que requer muita atenção tanto em rodovias como em centros urbanos. 

Quais são os pontos básicos na hora de escolher uma moto?

Para escolher sua moto você tem de levar alguns fatores básicos em consideração:
. Liberdade para controlá-la e que se adapte em seu corpo
. Adequada à sua estatura, não é sensato você comprar uma moto na qual necessite ficar nas pontas dos pés para mantê-la equilibrada
. Peça ao vendedor autorização para sentar na moto, manejá-la e se for permitido faça um teste drive para ter certeza de que se sente confortável nela 

O que é a Michelin Progressive Sipes Technology (PST)?

É uma tecnologia baseada em lamelas que rompem a película de água até o desgaste completo do pneu, aumentando progressivamente seu número conforme o contato com o pavimento. 

O que é a tecnologia Michelin XST?

Também conhecida como X-Slipe, esta tecnologia incorpora lâminas à banda de rodagem do pneu para que a película de água seja cortada e os largos sulcos propiciem melhor capacidade de drenagem – auxiliando a evitar a aquaplanagem. Para aperfeiçoar esta função foram incorporados sulcos circulares aos pneus, garantindo máxima eficiência e capacidade para evacuar a água. 

É verdade que há casos em que os pneus não pode ser consertados?

Sim, quando os pneus da motocicleta ficam gravemente danificados. Confira abaixo alguns exemplos:
. Furos na lateral. Aro visível ou deformado
. Borrachas ou lonas descoladas ou com dobras
. Deteriorações provocadas por produtos corrosivos

Para saber se o seu pneu tem conserto, leve-o para análise em uma Rede Autorizada Michelin. 

Como devo fazer a montagem e desmontagem dos pneus de motocicleta?

Elas devem ser efetuadas preferencialmente por profissionais capacitados de nossa Rede de Revendas, que contam com ferramentas e processos adequados, além de máquinas apropriadas.

Pontos de atenção:
. As rodas devem ser adequadas à dimensão do pneu e estar em perfeitas condições.
. Pneus novos “TT” (com câmara) deverão ser montados com câmaras novas.
. Pneus novos “TL” (sem câmara) deverão ser montados com válvulas novas.
. Verificar, antes da montagem, se os índices de carga e velocidade do pneu são adequados ao modelo de motocicleta ou scooter e a sua utilização. 

Qual é nível de desgaste do pneu de motocicleta permitido por lei?

De acordo com as normas técnicas e de trânsito em vigor, é proibida a circulação de veículos equipados com pneus cuja profundidade dos sulcos da escultura esteja inferior a 0,8mm em qualquer ponto da banda de rodagem. 

Quando devo fazer o balanceamento nos pneus da motocicleta?

O balanceamento deve ser feito:

. Sempre que houver substituição de pneus.

. Sempre que for efetuado conserto em pneus ou câmaras.

. Por ocasião de vibrações.

. Sempre que houver substituição de elementos do conjunto rodante. Por exemplo: pastilhas de freios, rolamento da roda, peças da suspensão, etc.

. Para conjuntos empregados em motocicletas que possuam rodas dotadas de raios, verificar periodicamente a tensão e o estado dos mesmos, eliminando excentricidades radiais e laterais existentes. 

Há alguma precaução de pilotagem com pneus novos?

Sim. Durante os primeiros 100 quilômetros com pneus novos, é recomendado ao motociclista que pilote de forma contida e com maior atenção.

Faz-se necessário que o ângulo de inclinação em curvas seja aumentado gradualmente durante este período para que haja a remoção da cera utilizada para garantir a retirada do pneu do seu molde de fabricação.

Durante este período, o motociclista deve evitar ao máximo manobras bruscas, inclinações agressivas e paradas repentinas, para não correr riscos de perda de aderência e, conseqüentemente, ocasionar uma queda.

Após 100 quilômetros, em média, o pneu estará livre desta cera e poderá ser utilizado sem maiores preocupações. 

O que devo fazer para que meus pneus durem mais?

Verifique a pressão dos pneus quinzenalmente e, principalmente, antes de um trajeto de longa distância ou que exija alta velocidade. A pressão correta é um fator de segurança e de durabilidade. Essa verificação deve ser efetuada "a frio" (menos de três quilômetros rodados).

A cada troca de pneu, substitua a válvula ou a câmara, pois ela se deteriora sob a ação da força centrífuga. Ela garante a vedação e torna mais longa a vida útil do seu pneu.

A calibragem é necessária para evitar vibrações. Ela também ajuda a combater o desgaste precoce das peças da suspensão, guidom e dos pneus. 

Como saber se meus pneus estão gastos?

Existe uma pequena imagem do Boneco Michelin situada no ombro dos pneus, marcando a localização do indicador de desgaste na banda de rodagem.

Esses indicadores são pequenas saliências no fundo dos sulcos ou esculturas. Se a profundidade do sulco chegar ao nível dessa saliência (limite de 0,8 mm), os pneus deverão ser trocados pois você estará correndo risco, além de estar violando a legislação vigente.

A Michelin recomenda que não se deixe chegar a esse ponto. 

O que são as letras e números na lateral do pneu?

Elas representam as características de cada pneu. Para facilitar sua compreensão, vamos usar o exemplo do pneu 295/80R22.5 TL XZE2 152/148M. Veja o que cada um significa:

295 - Largura de seção nominal do pneu (em milímetros ou polegadas)
80 - Série do pneu - razão entre a altura e a largura da seção do pneu novo (em percentual)
R - Construção radial
22.5 - Diâmetro nominal da roda em que se deve montar o pneu
XZE2 - Escultura/Desenho do pneu
152 - Índice de capacidade de carga em montagem simples
148 - Índice de capacidade de carga em montagem geminada
M - Índice de velocidade

Outras características:
PR16 - Equivalência em número de lonas (PR)
TL – Tubeless (sem câmara) ou Tubetype (com câmara)
2203 - DOT - local de fabricação e data/mês/ano
006 - Certificação INMETRO
TWI - Posição do indicador de desgaste
ACJ13405A - Matrícula ou série do pneu
Made in Brasil - País de fabricação
Regroovable - Indicação de ressulcagem

Como escolher o pneu mais adequado ao veículo ou máquina?

Você precisa identificar em quais situações dirige com maior frequência. Confira abaixo todas as opções disponíveis:

Rodoviário - para quem roda mais em estradas
Urbano - para quem roda mais na cidade
Misto - para quem costuma rodar em ambos
Fora de estrada - para quem roda mais em vias em péssimas condições, com muitos buracos e pedras.

Qual a pressão ideal para cada pneu e porque ela é tão importante?

Além de garantir maior estabilidade e segurança, pneus calibrados corretamente reduzem o consumo de gasolina. A pressão ideal é determinada em função do peso da carga transportada. Confira algumas recomendações:

. Inflar os pneus com a pressão recomendada no manual;
. Revisar a pressão periodicamente na condição a frio, antes de iniciar a rodagem;
. Usar a tampa da válvula para manter a pressão os pneus por mais tempo;
. Usar extensão de válvulas para facilitar o controle da pressão dos pneus internos.

Qual a importância do rodízio de pneus?

Fazer rodízio dos pneus significa trocar as posições entre eles de tempos em tempos. Isso permite que o desgaste entre os pneus seja uniforme, garantindo vida mais longa.

Não há uma regra específica para a realização do rodízio, uma vez que isto depende do tipo de uso individual. Recomendamos que você procure um profissional periodicamente para praticar esta atividade. Se o pneu apresentar desgaste anormal, verifique o estado mecânico e a geometria do seu veículo. 

O que é ressulcagem?

A ressulcagem é uma ótima alternativa para aumentar a durabilidade dos pneus. Esta operação simples consiste em aprofundar os sulcos originais dos pneus desgastados, que perderam o desenho de sua escultura original.

O serviço de ressulcagem mantém uma camada de borracha para proteger as lonas de trabalho - que ficam logo abaixo da banda de rodagem - contra agressões e choques. Desta forma, preserva a carcaça do pneu e aumenta sua vida útil. 

Quando é possível ressulcar os pneus?

Todos os pneus Michelin que apresentam gravado no flanco a palavra “ressulcável” ou “regroovable” podem passar pela operação de ressulcagem. No entanto, não é possível efetuar a ressulcagem se:

. As lonas de trabalho estiverem com o aço aparente.

. A banda de rodagem apresentar excesso de agressões, picotamentos, arrancamento da borracha ou estiver com o aço aparente, característicos de uma rodagem em solos agressivos.

. O pneu apresentar um desgaste irregular acentuado.

. As esculturas dos pneus já estiverem desaparecido. Isto acontece pois os profissionais se guiam nas esculturas para reproduzirem mais facilmente o desenho original do produto.

Importante: antes de tomar qualquer decisão, consulte sempre um revendedor Michelin através do telefone 0800-90-9400. 

Qual a diferença do pneu radial e do convencional?

Pneu Radial: a carcaça do pneu é composta por uma única napa radial em cabos de aço. Este método de construção reduz as deformações da superfície de contato com o solo, além das fricções por conta do atrito e o consequente aquecimento do pneu.

Pneu convencional: a carcaça composta por várias lonas cruzadas entre si, formando uma construção em monobloco. As consequências são maior atrito com o solo, que provoca mais aquecimento – reduzindo a vida útil da carcaça - e a necessidade de trabalho intenso dos materiais de todas as partes do pneu. 

Quais os benefícios do pneu radial?

Os pneus radiais têm várias vantagens em relação aos pneus diagonais. Confira:

. Economia de tempo
A maior tração dos pneus radiais Michelin permitem a realização dos trabalhos com velocidades superiores, melhor dirigibilidade e precisão na condução.

. Economia de combustível
Por ser mais flexível, o pneu radial proporciona maior conforto e segurança. Durante a rodagem, ele possui uma maior superfície de contato com o solo, o que aumenta sua capacidade de tração. Além disto, o número maior de tacos em contato com o chão reduz a taxa de patinagem.

. Menor compactação do solo
A tecnologia Radial foi desenvolvida para reduzir a compactação provocada com a passagem das rodas, graças à maior superfície de contato, característica importante para melhor distribuição da carga ao tocar o solo.

. Maior durabilidade
A melhor capacidade de tração, além da excelente resistência à abrasão e ao aquecimento do pneu radial reduz o desgaste do pneu, aumentando excepcionalmente sua durabilidade. 

O que é a tecnologia Michelin Ultraflex?

Os pneus convencionais seguem uma regra básica que indica a pressão correta de acordo com a carga transportada e a velocidade da máquina ou veículo de carga. Basicamente, ela informa que:
1. Se a carga aumentar, a pressão também aumenta.
2. Se a velocidade aumentar, a pressão também aumenta.

As Tecnologias Michelin Ultraflex invalidam esta regra, pois conseguem otimizar a pressão dos pneus, independente da velocidade do veículo ou máquina. Isto significa que mesmo quando a carga ou a velocidade aumentarem, a pressão dos pneus é sempre menor do que a dos pneus convencionais que desempenhariam o mesmo papel. 

Quais os benefícios da Tecnologia Michelin Ultraflex?

Veja a seguir as vantagens da Tecnologia Michelin Ultraflex:

. Otimização no tempo de trabalho
Pneus mais robustos e com maior tração, tanto em solo seco como úmido. Esta característica é especialmente importante em terrenos difíceis e durante períodos em que há maior incidência de chuvas.

. Aumento da produção
Pneus que rodam com pressão mais baixa, reduzindo a compactação do solo e preservando a produtividade do terreno até mesmo durante o transporte de cargas mais pesadas. Os campos são protegidos e mantêm o pleno potencial de rendimento.

. Redução dos custos de operação
Pneus com menor resistência e maior tração também economizam combustível, uma vez que diminuem a incidência de patinagem e necessitam menor força do motor para movimentar o veículo ou máquina.

. Maior durabilidade
Pneus com banda de rodagem mais plana, que permite a distribuição uniforme do peso por toda a superfície de contato. Como o peso é distribuído de maneira uniforme, o desgaste do pneu também acontece de maneira uniforme - ou seja, mais lentamente. 

Qual a importância de manter a pressão correta dos pneus?

Manter a pressão correta dos pneus é essencial para garantir a estabilidade e segurança do veículo, além de oferecer maior economia. Confira a seguir os problemas de manter a calibragem desapropriada:

. Redução da vida útil
Dirigir com pneus com pressão abaixo do solicitado pelo fabricante causa maior deterioramento ao pneu. Além disso, pode sobrecarregar a suspensão e danificar a roda. Por outro lado, pressão muito alta acarreta um desgaste prematuro dos pneus .

. Aumento do consumo de combustível
Isto acontece com a maior aderência do pneu ao solo. Vale lembrar que com maior consumo de combustível, maiores são as emissões de poluentes na atmosfera – prejudicando, inclusive, o meio ambiente.

3. Riscos à segurança
Pneus com pressão errada modificam as condições de dirigibilidade do veículo, já que altera as respostas aos comandos da direção. Além disto, há maior risco de aquaplanagem.

Confira o nível ideal de calibragem dos pneus da sua frota no Manual do Proprietário. 

O que é resistência à rodagem?

O pneu é desenvolvido para ser flexível, com objetivo de proporcionar conforto e aderência ao solo. Por este motivo, durante a rodagem ele se deforma em contato com o solo – aquecendo e consumindo energia (ou seja, combustível).

No processo de rodagem, o pneu precisa voltar à forma original após a deformação proporcionada pelo contato com o solo. Neste processo, parte da energia é perdida em forma de calor. Este processo é chamado de resistência à rodagem. 

O que é serviço de montagem e desmontagem de pneus?

Os serviços de montagem e desmontagem, assim como sugere o nome, permitem que os pneus de sua máquina ou veículo sejam montados e desmontados da forma correta.

Estas atividades precisam ser feitas por profissionais habilitados, caso contrário podem afetar aspectos como a durabilidade do produto, além de prejudicar o conforto na condução e a segurança do veículo ou máquina. 

Qual a importância de fazer a montagem e desmontagem dos pneus de forma correta?

Estas atividades precisam ser feitas por profissionais habilitados, caso contrário podem afetar aspectos como a durabilidade do produto, além de prejudicar o conforto na condução e a segurança do veículo ou máquina. Por isto, sempre vá a uma Rede de Revendedores Michelin para efetuar a montagem e desmontagem dos seus pneus. 

Quais são os principais cuidados ao fazer a montagem dos pneus?

Confira a seguir:

. Verifique o estado dos componentes metálicos das rodas. Eles devem estar limpos, livres de sujeiras, oxidações e deformações.

. Lubrifique a zona baixa do pneu que mantém contato com a roda e vice e versa.
. Utilize cruz de madeira/metálica para evitar o contato do flanco (lateral do pneu) com o solo, caso contrário pode haver um mau assentamento do talão.
. No momento de inflar o pneu, utilize uma gaiola de montagem e uma trava horizontal para segurança.
. Após a montagem o pneu deve ser pré-inflado de 80 lb/pol2 a 120 lb/pol2, dependendo de sua utilização (120 lb/pol2 para caminhões e grandes carregadeiras e até 80 lb/pol2 para outros equipamentos) para garantir o correto assentamento dos talões nas rodas. Depois disto, o pneu deve ser esvaziado até a pressão correta de utilização (consulte sempre o fabricante do pneu).
. Lembre-se: a pressão ideal otimiza o rendimento médio dos pneus. 

CARROS
Escolha seu pneu
Encontre uma revenda
Tudo sobre Carros
Aprenda e Compartilhe
Manual do Proprietário
MOTOCICLETAS
Escolha seu pneu
Encontre uma revenda
Tudo sobre Motocicletas
Mais informações